CHIQUINHO DA MANGUEIRA

Nota de repúdio pelo fim da educação física nas escolas

Um retrocesso. Assim podemos definir à alteração curricular do novo plano de ensino médio proposta pelo governo federal através da Medida Provisória 746/2016  que, entre outras mudanças, acaba com a obrigatoriedade das aulas de educação física.

Como profissional de educação físca, um defensor e incentivador das atividades esportivas esta MP tem o meu total repúdio, e não poderia ser diferente, por todo o meu histórico de vida e trabalho. Seja como professor, seja como secretário de esportes ou deputado e presidente da comissão de esportes e lazer da ALERJ.

A justificativa para a reforma, afirma que tais mudanças estão de acordo com currículos de países que possuem índices elevados de educação e de acordo com análises internacionais. Porém, estudos mostram que em todos esses países, a educação física é uma disciplina obrigatória. Em uma rápida pesquisa, podemos constatar que as aulas são obrigatórias no ensino médio em quase todos os Estados Unidos, na Europa e na Ásia.

A educação física na escola vai além da prática do esporte. Ela busca o desenvolvimento completo do aluno, que aprende a lidar com valores importantes como a disciplina, o trabalho em equipe e cooperação, além de ser importante na prevenção e combate à obesidade ou até mesmo na formação de novos e futuro atleta.

Como deputado estadual e presidente da Comissão de Esportes e Lazer da ALERJ tenho trabalhado sempre em prol da atividade física e da prática esportiva. Em 2015 tive a lei 7155 promulgada, que dispõe sobre a criação do “Projeto Estadual da Prática de Esportes e Desenvolvimento de Atletas e Paratletas”, que entre outras ações institui o programa de incentivo à prática de esportes, com natureza sócio educativa e que visa motivar e elevar a prática de esportes, organizadas a partir das escolas públicas ou particulares.

Posso afirmar que, aqui de nossa base, estamos trabalhando politicamente para que este quadro se reverta. De acordo com informações do Senado Federal, já são mais de 600 emendas de parlamentares desde que chegou ao Congresso Nacional, algumas delas no sentido de manter a obrigatoriedade das aulas de educação física no ensino médio.

Em respeito ao profissional de educação física, que acredita no que faz, seguimos contra a MP 746/2016 e buscando uma solução pelo retrocesso em nossos direitos.

Chiquinho da Mangueira
Deputado Estadual

ESCREVA SEU COMENTÁRIO