CHIQUINHO DA MANGUEIRA

Mangueira reinaugura Centro de Memória Verde e Rosa

Ao se aproximar dos seus 90 anos, a Estação Primeira de Mangueira e a sua comunidade ganharam um importante presente este sábado (17). A reabertura do Centro de Memória Verde e Rosa, que fica no terceiro andar do Palácio do Samba, onde há também o auditório Dona Zica, a sala de Cinema Carlos Cachaça e a Biblioteca Dona Neuma.
O Centro de Memória, que reabre após 10 anos, é um território de cultura encravado no pé do Morro da Mangueira, referência para pesquisa, educação, documentação, difusão e comunicação de livre acesso para todos. Há quase duas décadas, o espaço vem resgatando e perpetuando a história da Nação Mangueirense.
Seu acervo é composto por fotos, fantasias, quadros, discos instrumentos musicais, jornais, revistas, placas comemorativas e documentos preciosos. São objetos que fazem emocionar até mesmo quem é “ruim da cabeça ou doente do pé”. Entre as peças de maior destaque estão o saxofone do mestre Pixinguinha, o surdo do primeiro desfile da Escola e uma reprodução do jornal A Voz do Morro, primeira publicação criada numa favela, em 1935.
O Centro de Memória estará aberto ao público para visitação, até fevereiro de 2017 com hora marcada, entre 14h e 18h de segunda a sexta-feira. Aos sábados, durante os ensaios na quadra, das 22h às 24h. Outra opção será durante às feijoadas da Mangueira, todo segundo sábado do mês, de 15h às 18h. Para agendar, é só enviar email para cultural@mangueira.com.br.

ESCREVA SEU COMENTÁRIO