CHIQUINHO DA MANGUEIRA

27042017_163847comesp_geral_RafaelWallace_27_04_17_peq

Futuro do Maracanã é debatido em audiência da Comissão de Esporte da Alerj

Uma nova licitação para decidir quem vai gerir o Maracanã: é o que defenderam os deputados em audiência pública da Comissão de Esporte e Lazer da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), nesta quinta-feira (27/04). “O Maracanã está abandonado. O Governo vai ter que tomar uma atitude e vamos acompanhar. Tenho uma posição clara de que deve haver igualdade para todos os clubes”, disse o deputado Chiquinho da Mangueira (PTN), presidente da Comissão.

Na reunião, os deputados manifestaram-se contra uma eventual transferência da atual concessão. Além do presidente da Comissão, os deputados Carlos Osório (PSDB), Luiz Paulo (PSDB), Márcio Pacheco (PSC), Tio Carlos (SDD) e Milton Rangel (DEM) também são a favor da nova concorrência pública para definir o administrador do estádio.

No entanto, o Governo do Estado admitiu não ter nada definido para nova licitação. Segundo o chefe de gabinete da Casa Civil, Marcelo Queiroz, existem requisitos jurídicos que estão sendo avaliados. “Você não pode descumprir um contrato do dia pra noite. Qualquer decisão precipitada é um risco ao patrimônio público. Nosso objetivo é fazer um processo cada vez mais seguro, para não ter problema”, afirmou.

Divergência entre clubes

No impasse quanto à futura administração do estádio, os clubes ainda divergem sobre qual seria o melhor modelo. Atualmente, o consórcio controlado pela Odebrecht tem o controle do estádio por decisão judicial. Mas o grupo afirmou que pretende deixar a administração, repassando o controle a outros interessados.

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, concorda com a abertura de nova licitação e diz que o clube tem interesse de participar. “É a melhor solução. Se for feita a simples transferência, o Flamengo nunca mais vai jogar no Maracanã. Vai ficar para a memória”, declarou.

Já o presidente do Fluminense, Pedro Abad, acredita que é mais confortável para os clubes que uma das empresas na fila pela transferência fique com a gestão. “Elas já demonstraram um real interesse em cumprir as condições do contrato.”

Para Eurico Miranda, presidente do Vasco, o Maracanã não deve ficar nas mãos de apenas um clube de forma alguma. “A posição do Vasco é clara. Que tenha nova licitação, mas é preciso tratamento isonômico dos quatro grandes clubes do Rio de Janeiro”, disse. O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, também destacou o acesso equilibrado dos clubes ao equipamento. “Vamos desarmar os espíritos e buscar um diálogo.”

Também estiveram na reunião o secretário de Estado de Esporte e Lazer, Thiago Pampolha, o procurador-geral da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), Sandro Trindade, e o deputado federal Otávio Leite.


27042017_164531comesp_cmangueira_ebdemelo_pabad_RafaelWallace_27_04_17_peq

Texto: Isabela Cabral (ALERJ)/ Fotos: Rafael Wallace (ALERJ)

ESCREVA SEU COMENTÁRIO